Criado em 1996, o UNAIDS é um programa da Organização das Nações Unidas (ONU) para combater a AIDS e prevenir o avanço do vírus do HIV. Em 2013, a Programme Coordinating Board (PCB), área de política e estratégia da própria instituição, solicitou um plano de combate contra o crescimento da doença no mundo. Desse modo foi criada a meta 90-90-90.

A nova proposta ambiciona alcançar números ideais para reduzir drasticamente a evolução da AIDS em âmbito global. De acordo com a meta 90-90-90, até 2020, 90% das pessoas infectadas com o HIV saberão que são portadoras do vírus; 90% dos pacientes diagnosticados com o vírus receberão a terapia antirretroviral; e 90% dos indivíduos que fazem uso do medicamento terão supressão viral. Segundo a UNAIDS, estas metas poderão evitar 28 milhões de novas infecções.

E não para por aí! Se a meta para 2020 é chegar a 500 mil novas infecções em adultos no mundo, para 2030 a UNAIDS buscará minorar ainda mais este índice, já que a entidade fala em atingir a meta de 200 mil novas infecções apenas. Além disso, busca ampliar o percentual para 95% do tratamento antirretroviral. A UNAIDS ainda menciona que deseja ZERO discriminação por parte da sociedade.

Ministério da Saúde do Brasil e Anvisa

O Ministério da Saúde do Brasil, em conjunto com a Anvisa e demais atores do segmento saúde, têm unido esforços para atingir estas metas o mais rápido possível. Segundo Pamella Gaspar, do Ministério da Saúde, em 2018 mais de 40 milhões de testes rápidos foram distribuídos em centros de saúde no Brasil. "Os testes rápidos já são uma realidade exitosa. Em 2018, o Brasil atingiu 85% da meta 90-90-90 com a distribuição destes exames", declarou.

PrEP

Na direção da meta, o programa de Profilaxia Pré-Exposição, conhecida como PrEP, do governo federal brasileiro, também tem contribuído para cumprir o objetivo da UNAIDS.  As diretrizes do programa da PrEP compreende exames de triagem, testes rápidos de HIV e sífilis, além de testagens para hepatites A e B, e até avaliações hepáticas.

De acordo com números do Ministério da Saúde, 10.350 usuários recorrem à PrEP, sendo que 69% continuam com a prevenção. 77% das pessoas que utilizam a PrEP são gays, 12% são de mulheres cisgênero, 8% são heteros homens. Apenas 0,2% são trans homens e 3% são trans mulheres. A maioria dos usuários está na faixa etária entre 30 e 39 anos.

Os autotestes, além dos testes rápidos distribuídos e dos testes rápidos remotos (TRL) em lugares ermos e de difícil acesso, são ferramentas essenciais para que o Brasil (e o mundo) combata com eficácia a progressão do HIV.

Dessa forma, a BioSure tem plena convicção do seu papel protagonista para que o mundo atinja (ou até supere) a meta 90-90-90. Vamos juntos ganhar esta guerra!